Bronquiolite: como intervir para prevenir complicações?

Bronquiolite: como intervir para prevenir complicações?

Out 27, 2022

No artigo «Bronquiolite. Que sinais e sintomas?» ficou explícito que a bronquiolite é um dos principais diagnósticos em pediatria no inverno. Muito frequente e com formas mais graves em recém nascidos, ex-prematuros, crianças com comorbilidades associadas e bebés com idade inferior a 12 meses.

Para evitar a transmissão do vírus, o gesto mais importante a adotar por nós adultos será: prevenir, prevenir, prevenir! Não nos esqueçamos que, enquanto em nós, adultos, os sintomas podem ser uma simples tosse ou corrimento nasal, num bebé pequeno e frágil os sintomas podem ser bem mais graves!

 

COMO PREVENIR?

 

Higienizar as mãos frequentemente, incentivando familiares e amigos para a importância deste ato; 

Tossir ou espirrar para o antebraço;

Não reutilizar lenços de papel depois do gesto de assoar;

Evitar o fumo do tabaco;

Evitar aglomerados de pessoas.

Mesmo prevenindo, há situações imprevisíveis em que o vosso filho pode ser diagnosticado com bronquiolite. Não se culpabilizem. Nesta fase é importante arregaçar as mangas e adotar medidas que vos vão ajudar a controlar os sintomas no vosso bebé. E logo logo os 5 a 7 dias vão passar e ele vai melhorar :)

Lavar o nariz com soro fisiológico;

Inclinar o berço (não é unicamente a cabeceira que deve ser elevada, mas sim o berço por completo e, por isso, em berços que não o permitem podemos colocar uma camisola por baixo do colchão de forma a fazer um ângulo de 25/30º); 

– Em bebés sob aleitamento materno, encurtar o horário das mamadas de forma a reduzir a quantidade de leite que o bebé mama e, assim, não encher demasiado o estômago, o que dificulta a expansão pulmonar e desencadeia maior dificuldade a respirar. Em casos em que o bebé se cansa muito na mama, pode ser necessário a mãe extrair leite e oferecer ao bebé por biberão, por seringa ou com a técnica do copo (explicarei num próximo artigo as diferentes alternativas e técnicas de administração de leite);

– Em bebés sob aleitamento artificial, reduzir a quantidade de leite oferecida ao bebé e, se necessário, encurtar os intervalos entre mamadas (se mama de 3 em 3h 120ml, passar a oferecer 90ml de 2 em 2h, por exemplo).

E eis que finalmente o vosso bebé começa a melhorar :) Será ótimo sinal, mas não nos esqueçamos que estas medidas são importantes pelo menos durante mais uma semaninha após melhoria do estado geral do bebé.

2 Comments

  1. Claudia Amaral

    O pior e mais grave diagnóstico de sempre da princesa mais velha…
    Importantes dicas e recomendações, Enf. :) ❤️

    Reply
    • admin

      Ainda bem que foi o pior dos diagnósticos. É uma sensação de impotência muito grande para os pais, não saber como agir nestas situações. Ainda bem que a informação se mostra útil :)

      Reply

Submit a Comment

O seu endereço de email não será publicado.