Mudança de quarto: quando e como? O certo e o errado

Mudança de quarto: quando e como? O certo e o errado

Abr 20, 2022

Mudar o bebé de quarto é mais complexo do que imaginamos. Na origem desta decisão podem estar vários aspetos e cada família terá os seus motivos, seja para uma mudança precoce ou tardia.

A nossa realidade cá em casa não vai ao encontro do recomendado na literatura e não posso deixar de vos contar o porquê.

Claro que, considerando a prevenção da morte súbita, o bebé deve dormir no quarto dos pais, idealmente até aos 12 meses, mas pelo menos até aos 6 meses. No entanto, o segredo está em deitarmos o bebé em segurança, independentemente do local onde ele vai dormir. Espreitem o artigo que construí há uns meses e que continua tão atualizado: «morte súbita: vamos prevenir?»

Claro que dormir no quarto dos pais não está unicamente relacionado com a morte súbita, mas também com o sucesso da amamentação. O co-sleeping é o aliado perfeito para o sucesso da amamentação. Por isso ser tão importante também o bebé dormir no quarto dos pais nos primeiros meses de vida.

Ainda assim, bebés que passam a dormir bem de noite e a despertar menos para mamar, podem perfeitamente passar a dormir no seu quarto. Não esquecendo a segurança no seu deitar!

Segurança do bebé no berço

Mais importante do que o local onde o bebé dorme (quarto dos pais ou o seu próprio quarto) é a forma como o bebé é deitado. Isto porque nos primeiros meses de vida o bebé não se consegue defender, o que significa que devemos garantir que nada no berço põe em causa a sua segurança. Então, para haver segurança no sono, devemos garantir que o bebé:

  • É deitado de barriga para cima;
  • Não tem junto a si bonecos, fraldas de pano ou qualquer outro amuleto que possa sufocar o bebé;
  • É tapado pela zona das axilas ou (idealmente) dentro de um saco de dormir.

Mudança de quarto: quando e como?

Como vos disse anteriormente, a evidência mostra como importante o bebé permanecer no quarto dos pais até, pelo menos aos 6 meses de vida.

Da mesma forma, os autores enfatizam que esta decisão de mudança de quarto deve ser tomada pelos pais em consciência. Por mãe e pai / acompanhante e não somente por um dos dois. Considerando, claro, o bem-estar da família. Assim, recomenda-se que o bebé passe para o seu quarto quando:

  • Os pais se sentirem preparados para tal;
  • O bebé já não tiver muitos despertares noturnos que façam com que mãe ou pai/acompanhante passem a noite de um lado para o outro.

Um bebé que já dorme várias horas seguidas pode, perfeitamente ser mudado para o seu quarto. Mas também pode ficar junto dos pais o tempo que desejem. Cada caso é um caso e cada família deve fazer o que considera melhor.

A nossa experiência

Com o João Maria…

O João Maria começou a dormir melhor aos 4 meses de vida. Sempre o deitei por volta das 21h no seu berço (mas no nosso quarto). Com 4 meses já dormia seguido até cerca das 4h-5h, acordando para mamar e dormindo de seguida até às 8h-9h.

Por volta dos 5 meses iniciou um período de despertares noturnos muito frequentes. Não havia explicação para aquele facto, a não ser, eventualmente, novas competências e aprendizagens suas, que o fizessem despertar com a ideia de as treinar. Típico quando os bebés aprendem novas competências/habilidades.

Estava a tornar-se incomportável. Eu estava a ficar maluca! Então, comecei por mudar o seu berço para o lado do pai, não fossem as minhas maminhas próximas do JM as culpadas de tantos despertares. A verdade é que melhorou com essa prática nas noites seguintes. Mas continuaram alguns despertares.

Depois de conversarmos em casal e considerando que deitávamos sempre o nosso bebé em segurança, optámos por fazer a experiência, aos 5 meses e 1 semana, de o mudar para o seu quarto (que fica em frente ao nosso).

Podem não acreditar, porque eu também não acreditei quando notei a diferença! O meu bebé voltou a dormir bem, mais horas seguidas e com menos despertares.

Claro que teve noites más em certas alturas: na fase de nascimento de dentes, quando estava doente ou mesmo quando fugíamos à rotina exporadicamente. Ainda hoje isso acontece!

Com a Leonor…

A Leonor está com 5 meses e quase 3 semanas. A mudança de quarto deu-se há cerca de 5 dias, quando se tornaram insuportáveis as noites. É que agora temos dois bebés e, quando a Leonor desperta, há vezes em que também o JM acorda. Isto torna-se “de loucos” às 3-4 da manhã. Ao ponto de, nas últimas semanas eu me sentir sem forças, tal era a falta de descanso!

Lembrando-me do que tinha sucedido com o JM, não tive dúvidas que precisava de experimentar a mudança de quarto na minha bebé. Por mais difícil que isso fosse para mim! Queria mesmo continuar com ela no nosso quarto mais uns tempos. Sobretudo porque estava a ser maravilhoso (até se iniciar esta fase difícil) e eu nem sei se terei mais filhos. Parece que quero aproveitar ao máximo cada fase da minha bebé… Entendem este sentimento?

Ainda assim, por ela e pela nossa estabilidade mental, precisámos de tomar esta decisão. E volto a crer que foi a melhor cá em casa.

Claro que cada bebé é um bebé e isto ter corrido bem com os nossos não significa que corra bem com os vossos! Mas a verdade é que estamos livres de fazer as nossas experiências, desde que não comprometam a segurança dos nossos bebés.

Sinto-me segura e tranquila, sobretudo porque sei que a deito no seu berço de grades do seu quarto:

  • Em saco de dormir;
  • Sem roupa a tapar ou, se estivesse uma noite fria, taparia eventualmente pelas axilas (com roupa leve);
  • Sem amuletos, panos ou bonecos.

Desse lado, fez-vos sentido esta partilha? Como tem corrido com os vossos pequeninos?

 

0 Comments

Submit a Comment

O seu endereço de email não será publicado.

× Podemos ajudar?