O nascimento dos primeiros dentes. E agora? pela Dr.ª Inês Guerra Pereira

O nascimento dos primeiros dentes. E agora? pela Dr.ª Inês Guerra Pereira

Mai 24, 2021

Hoje tenho um artigo muito especial para todos vós. É com enorme orgulho que vos apresento a Dr.ª Inês Guerra Pereira, médica dentista, doutorada em medicina dentária pela Universidade do Porto, especialista em cirurgia oral, pós-graduada em odontopediatria e ortodontia intercetiva. É docente na faculdade de medicina dentária da Universidade do Porto e autora do blog e da página de youtube denteadente.

Com um vasto currículo e experiência, partilha conosco diariamente importantes dicas de saúde oral adaptadas aos mais pequenos. Pedi-lhe que me auxiliasse num dos muitos temas em que o meu conhecimento não é tão específico, como é natural. Nada melhor do que procurar o especialista certo 😍

Deixo-vos então as dicas da nossa especialista para que se sintam tranquilos numa fase de tanta emoção e angústia:

O nascimento dos primeiros dentes…

“O nascimento dos primeiros dentes é sempre um momento de grande emoção e ansiedade para os pais. Qualquer pontinho branco que apareça, mesmo aos dois meses, os pais já acham que são os dentes! Ou então começam a desesperar quando o bebé já tem 12 meses e ainda não tem dentes!

Mas calma papás… Os primeiros dentinhos podem aparecer entre os 4 e os 14 meses de idade.

O desenvolvimento destes dentes começa na 6.ª semana da gravidez e quando o bebé nasce os dentes já estão todos debaixo da gengiva prontos para nascer. Mas como a Natureza é sábia, à medida que decorre o desenvolvimento e desempenho de novas funções, os dentes vão aparecendo de forma gradual, o que pode variar bastante de acordo com cada ritmo de crescimento.

Bebés prematuros ou com algum tipo de alteração sistémica, podem sofrer um atraso no nascimento dos primeiros dentes, sendo que nos meninos estes dentes podem aparecer mais cedo do que nas meninas. Também pode ocorrer uma alteração na sequência de nascimento descrita para estes dentes.

Que sintomas?

Nesta fase é normal os bebés apresentarem irritabilidade, aumento da salivação, redução do apetite, tosse, corrimento nasal e sono agitado. Como a imunidade está mais baixa, pode ser também comum alguma diarreia e urina com odor forte. Pode também existir um aumento da temperatura corporal, mas nunca acima dos 38º graus.

Tenham muita paciência e sobretudo ofereçam muito colo e conforto ao bebé. Esta é para ele uma fase estranha, em que não consegue perceber o que está a acontecer na sua boquinha e em que está tudo hipersensível. Mais próximo do dia de nascimento do dente poderá ser possível observar um aumento de tamanho da gengiva, no local do dente que vai nascer, e também é natural que fique mais esbranquiçada. Vigiem a boquinha dos vossos bebés para identificar estas alterações e conseguirem interpretar o que se está a passar.

Depois do primeiro dente…

A partir do momento que nasce o primeiro dente, está na hora de começar a escovagem! Escova de dentes com cerdas macias, cabeça pequena e pescoço fino e pasta de dentes com 1000 ppm de flúor na quantidade de um grão de arroz crú e estão prontas para deixar esses dentinhos a brilhar.”

Uma sugestão especial da Dr.ª Inês:

Façam o registo do dia de nascimento de cada dente (para não se perderem no meio de tantos), e levem à primeira consulta de medicina dentária, pode ser um dado clínico relevante.

Por Inês Guerra Pereira, Fevereiro 2021

Podem encontrar a Drª Inês nas seguintes plataformas:

Instagram ines.guerra.pereira

Blog denteadente

Página youtube denteadente

O João Maria e os primeiros dentinhos…

Claro que tinha de terminar o artigo com a nossa experiência pessoal. Não vos vou dizer que não foi emocionante assistir ao nascimento do primeiro dente do nosso tesouro! Claro que foi. Lembro-me, como se fosse hoje, e já se passaram 12 meses. Meu Deus, 12 meses! Como o tempo passa!

Aos 4 meses do meu bebé que naquela altura já dormia toda a noite, de um dia para o outro passou a ter imensos despertares noturnos. Seguiu-se o aumento das dejeções (fazia cocó umas 8 vezes por dia). Claro que aumentaram as mamadas, pedia maminha com muita frequência. Confesso-vos que não associei aos primeiros dentinhos. Notava-o desconfortável, mas achei sempre que seria cedo para o primeiro dente. Até porque o meu bebé já babava muito, levava consecutivamente as mãos à boca, algo normal para a idade, dado ser realmente a fase de descoberta das mãos. Mas…No final: tinha brinde! 😜

E daí em diante não parou. Os sintomas têm sido sempre semelhantes. Para validar que tudo estava bem, segui também o conselho da Dr.ª Inês e fui com o João Maria ao odontopediatra na semana em que completou 12 meses. Vejo nas dicas da Dr.ª Inês exatamente o que aconteceu com o João Maria e os cuidados que procurámos ter. Sempre muito carinho, colo e miminho. O principal para que tudo melhore 😍

 

Obrigada Inês por esta riqueza que deste ao meu artigo. E um obrigada a todos vocês que o vieram ler com tanto carinho pelo nosso trabalho!

0 Comments

Submit a Comment

O seu endereço de email não será publicado.

× Podemos ajudar?