O que precisamos de perceber, enquanto pais, sobre os percentis do bebé?

O que precisamos de perceber, enquanto pais, sobre os percentis do bebé?

Fev 6, 2021

O QUE É o percentil?

Os percentis permitem acompanhar o crescimento de bebés e crianças. Dos 0 aos 5 anos, destacam-se os percentis de peso, altura, índice de massa corporal e perímetro cefálico.

Permitem comparar um bebé/criança relativamente a determinado parâmetro, com a média de crianças estudada, percebendo também se as várias medidas do bebé se relacionam.

Exemplo: uma criança no percentil 75 de peso significa que em 100 crianças saudáveis com aquela idade e aquele género, 24 são mais pesadas e 75 são mais leves.

NÃO DEVE SER MOTIVO DE ALARME, desde que o médico que acompanha o bebé diga que este está a ter um desenvolvimento adequado. O que importa é que a criança apresente um ritmo de crescimento regular, sem discrepâncias significativas na curva.

 

PARA QUE SERVE o percentil?

  • Linguagem universal promovida pela Organização Mundial de Saúde (OMS). Em Portugal os percentis significam o mesmo relativamente a outro país do Mundo;
  • Permite monitorizar o estado nutricional e o crescimento de bebés e crianças.
OMS
  • Os profissionais de saúde de referência do bebé/criança, identificam precocemente possíveis complicações, através dos percentis e das curvas de crescimento.

Dou-vos de exemplo a recomendação mais comum: bebés em percentis mais elevados de peso, são muitas vezes aconselhados a não comer papa regularmente ou a não serem oferecidas bolachas, aumentando-se o aporte de legumes e frutas. O profissional de referência daquele bebé facilmente percebe se o bebé tem maior ou menor risco de desenvolver obesidade no futuro, aconselhando estilos de vida propícios à resolução da situação.

 

O QUE É CONSIDERADO NORMAL em termos de percentil?

Desengane-se quem acha que somente o percentil 50 é considerado adequado e onde se situam os bebés ditos “normais”. Cada bebé é um bebé, sendo essencial perceber a relação entre as várias variaveis e não somente encarar o percentil de peso ou de altura individualmente.

Exemplo: um bebé no percentil 15 de peso e no percentil 15 de altura mantém um crescimento regular, sem aparente preocupação.

É por cada bebé ser único e especial, diferente dos demais e incomparavel, que os profissionais de saúde se preocupam tanto com estas curvas.

Exemplo: um bebé no percentil 95 de peso mas com percentil 3 de altura indica uma grande discrepância entre variáveis o que pode significar que está com excesso de peso.

PREOCUPAÇÕES DOS PAIS

  • “Será que o meu bebé está a engordar?”;
  • Terá crescido bem na última semana?”;
  • O filho da minha amiga, da idade do meu filho, está mais gordinho que o meu“;
  • “A enfermeira no centro de saúde disse que o meu bebé está no percentil 50 de peso“.

Ainda não conheci nenhuma mãe despreocupada com o peso do seu filho. Conheci e conheço sim mães mais ansiosas com estes parâmetros e mães mais tranquilas. Há vários fatores que condicionam essa preocupação. Mas no momento em que o bebé vai para cima da balança, todas desejam ouvir boas notícias :)

 

NÃO SE ESQUEÇAM:

O percentil 50 não é aquele em que todos os bebés se deviam situar, ou não existiriam todos os outros percentis;

– Se o bebé está a crescer bem (independentemente do percentil) e a opinião do profissional de saúde que segue o bebé é positiva, não há razão para alarme;

– A OPINIÃO DO PROFISSIONAL DE SAÚDE QUE SEGUE O BEBÉ É A MAIS IMPORTANTE;

Esclareçam todas as dúvidas com o profissional de saúde que segue o vosso bebé;

– Optem por hábitos saudáveis no cuidado aos vossos filhos, guardando as comidas embaladas/pré-confeccionadas para exceções;

– Não é porque o vosso filho está num percentil mais baixo de peso que podem/devem dar-lhe alimentos da categoria «dos pouco saudáveis»;

Mantenham-se ativos e informados relativamente a este tema.

 

Baseado nas orientações do Programa Nacional de Saúde Infantil e Juvenil e no manual de saúde infantil e juvenil

9 Comments

  1. Monica

    Tenho um menino de quase 6 meses e o percentil dele está abaixo de 3. A pediatra autorizou logo a papa está claro! O problema é encontrar o equilibrio entre lhe dar papas e coisas doces que ele come melhor e dar sopas e frutas que lhe fazem bem mas ele odeia! alguma sugestão?

    Reply
    • Enf Andreia

      Olá Mónica. Sugiro-lhe, nesta habituação do bebé ao paladar das sopas, dar sopas mais adocicadas: porque não experimentar uma sopa só com batata doce + abóbora + bróculos + 1 dente de alho? Colocando maior quantidade de bróculos (conferem um sabor adocicado à sopa). Quanto à fruta, porque não dar manga ou papaia? São frutas mais doces também :) A partir daí, pode incluir, gradualmente, novos legumes.

      Reply
  2. Claudia Amaral

    Ver o peso final na balança é uma ansiedade gigante… Tu sabes! O “peso na consciência” de uma 1a filha que iniciou L. A. às 3S de vida (embora aliado a L. M. até aos 6.5M) e a atual experiência de uma 2a filha que, embora em exclusivo a L. M., não está a assumir o aumento de peso expectável…
    Ser mãe… ❤

    Reply
  3. Sara Nogueira

    o meu filho com 7 meses está no percentil 50 relativamenfe a altura e no peso está no percentil 95, apenas com leite materno exclusivo ate aos 6 meses e sempre esteve no percentil 75 ate aos 4 meses e iniciou as sopas aos 6 meses mas come muito mal. No entanto não estou muito preocupada porque o pediatra disse que quando começasse a gatinhar e a andar perdia todo o excesso de peso. Apenas está proibido de comer papa até estabilizar um pouco o peso. :sweat_smile:

    Reply
    • Enf Andreia

      Olá Sara, obrigada pelo comentário :) Exatamente! Aí está um excelente exemplo de recomendação médica para não ser dada papa, dado o percentil aumentado. Mas sim, sem razão para alarme. Vai ser um bebé que começando a andar, com toda a certeza, recupera a forma física :)

      Reply
  4. Filipa Moeda Massapina

    Se assim fosse qual o motivo de recomendar leite adaptado num bebé que não cumpre a tabela de peso??

    Reply
    • Enf Andreia

      Olá Filipa. Muito grata pelo seu comentário :). Como explico no artigo, cada caso é um caso e havendo preocupação da parte do pediatra ou médico que segue a criança relativamente a algum parâmetro, então têm de ser feitas as prescrições adequadas. O estudo de cada bebé pelo profissional de saúde que o segue dita a necessidade ou não de leite artificial, assim como a necessidade ou não de papa, por exemplo (há bebés que mesmo estando num percentil constante, esse percentil pode ser elevado o que causa preocupação no profissional e, por sua vez, aconselha-se a mãe a não dar papa)

      Reply
  5. Margarida Martins

    O meu 1o filho teve quase sempre abaixo do percentil 50. Foi sempre uma criança saudável. Ele come bem e absorve tudo. Tenho agora uma bebé de quase 7 meses e está acima do percentil 50 mesmo não comendo o que está rotulado como standard para a idade. Tendo em conta que tem APLV e antes de ser diagnosticada teve muita dificuldade em aumentar de peso ou adquirir o que também está como standard por semana. A médica diz que está ótima.

    Reply
    • Enf Andreia

      Otimo Margarida! Como vê, tem aí dois exemplos de bebés completamente diferentes e ambos saudáveis, graças a Deus :) Um beijinho e muito grata pela partilha e por seguir a página!

      Reply

Submit a Comment

O seu endereço de email não será publicado.

× Podemos ajudar?