Infeção urinária em idade pediátrica – como prevenir?

Infeção urinária em idade pediátrica – como prevenir?

Ago 18, 2020

A infeção urinária é a infeção bacteriana e o diagnóstico mais frequente nas urgências de pediatria, motivo de internamento em muitos bebés e crianças. Os principais agentes responsáveis são bactérias gastrointestinais que ascendem até ao trato urinário, sendo a mais frequente a Escherichia Coli (que nome estranho este 😝). 

O risco no bebé é a formação de cicatrizes renais, com potenciais complicações tardias. O diagnóstico e tratamento atempados são fundamentais na prevenção de danos renais.

Quais os fatores de risco?

Os fatores de risco em bebés estão associados, na maioria das vezes, a malformações e obstruções do trato urinário e à prematuridade; os meninos tendem a ter maior acumulação de bactérias ao nível do prepúcio, aumentando o risco de infeção urinária. Por outro lado, as meninas, apresentando maior proximidade entre o meato urinário e o ânus, incorrem em maior risco de infeção.

Em crianças maiores, a infeção urinária está associada, em maior percentagem de casos, à diabetes mellitus, ao trauma ou, em adolescentes do sexo feminino, às relações sexuais.

Quais os sintomas em pediatria?

Bebé

O problema dos bebés é que não se sabem queixar e os sintomas passam, muitas vezes, despercebidos, sobretudo em bebés com idade inferior a 3 meses: febre, recusa alimentar, irritabilidade, baixa progressão de peso ou perda de peso e vómitos, são os sintomas mais comuns. Os recém-nascidos surgem mesmo muitas vezes sem febre, mas com vómitos, recusa alimentar e má progressão ponderal como principais sintomas.

O risco aqui prende-se com a propagação da infeção para outros locais do organismo do bebé, sendo causador de infeção generalizada (sepsis). Daí ser fundamental diagnóstico e tratamento atempados.

Criança

A partir dos 2 anos de idade, os sintomas tendem a ser mais específicos, pois a criança sabe explicar a sintomatologia, englobando dor ou ardor ao urinar, urgência urinária, aumento das micções, dor supra-púbica e, claro, frequentemente febre associada.

Adolescentes meninas têm habitualmente taxa aumentada de infeções urinárias, associadas à relação sexual, com sintomas como dor abdominal, urina com sangue e urgência urinária.

Como é feito o diagnóstico?

Por análise à urina que permite identificar o agente causador e o antibiótico adequado ao mesmo.

Como é feito o tratamento?

Através de antibiótico. Em crianças mais pequenas ou em crianças que vomitam o antibiótico, justifica-se o internamento para administração de antibiótico por via endovenosa.

O QUE OS PAPÁS PODEM FAZER PARA PREVENIR?

Atender a um conjunto importante de aspetos, como sejam:

  • Limpeza adequada do períneo do bebé:

Meninas: limpar sem friccionar, da frente para trás (da zona mais limpa para a mais suja):

Meninos: fazer ligeira retração do prepúcio para limpeza daquela zona, evitando a acumulação de sujidade entre o pénis e o prepúcio; deixar sempre a limpeza do ânus para o fim.

Departamento científico de nefrologia, 2016

DGS, 2012

Tag:

0 Comments

Submit a Comment

O seu endereço de email não será publicado.

× Podemos ajudar?