Vamos finalmente ter alta da maternidade! 6 aspetos a não esquecer

Vamos finalmente ter alta da maternidade! 6 aspetos a não esquecer

Jun 17, 2020


Todas as grávidas desejam ver o seu bebé pela primeira vez. Depois desse momento, o 2º grande desejo é que os dias na maternidade passem e o regresso a casa aconteça. Nesta altura pandémica, sem o pai do bebé presente, a necessidade de chegar a casa é ainda maior.

Lembro-me bem do que senti em Setembro de 2019 com o meu marido sempre ao meu lado. Por me lembrar tão bem e ter tido o que neste momento as recém-mamãs não podem ter (o pai presente 24 sob 24h), ainda valorizo mais o que passam estas mulheres nos dias de hoje.

Dei entrada na urgência obstétrica a 29/09 cerca das 22h. Já vos tinha contado todos os pormenores no artigo «». Em menos de 3h tinha o meu bebé nos braços. Depois de o ver pela primeira vez e de termos ido os três para a enfermaria, já só “sonhava” com a chegada a casa.

No dia seguinte, logo cedo, tinhamos o pediatra do hospital junto de nós a observar o João Maria. E logo de seguida veio a obstetra observar-me a mim. Estavamos os dois a recuperar bem daquele momento “alucinante” que é o parto :)

No segundo dia após o parto, sabíamos que a visita médica nos daria informações. Desejavamos a alta de uma maneira que não há explicação! Felizmente e porque ambos estavamos bem, o pediatra e a obstetra passaram-nos a alta no período da tarde :)

Íamos finalmente embora. Estava tudo pronto. Ao contrário da maioria dos casais grávidos, o meu maior desejo não era vestir a primeira roupinha ao meu bebé, mas sim a roupa que marcaria a sua saída do hospital. Quer eu quer o meu marido somos fascinados por vermelho. Claro que o nosso filho tinha de vestir vermelho para sair do hospital :)

Começava aqui a nossa verdadeira aventura a 4, nunca esquecendo a pequena Nina que aguardava ansiosamente a chegada do “mano” a casa :)

6 aspetos a não esquecer antes de ter alta da maternidade

As dúvidas dos papás são para serem colocadas aos profissionais de saúde da maternidade antes de terem alta

Pensem nas dúvidas que possam ter (claro que muitas das dúvidas surgirão em casa, mas quanto mais questões colocarem aos profissionais da maternidade, mais confiantes se vão sentir no regresso a casa com um novo ser):

Sobre o bebé

  • Amamentação / aleitamento artificial (no caso das mulheres que não podem ou não querem amamentar);
  • Banho ao bebé;
  • Cólicas;
  • Seguimento pós-alta, entre outras.

Questionem a maternidade relativamente a algum número de apoio ou algum espaço de receção na maternidade a recém-papás. Na maternidade onde nasceu o João Maria, antes de termos alta coloquei essas questões e, além de um contacto telefónico, informaram-nos da existência de um gabinete de apoio a recém-papás, direcionado para questões ou dificuldades na amamentação.

Não se esqueçam das questões relacionadas com a parturiente. Habitualmente o pensamento centra-se todo no bebé, mas há uma recém-mamã que precisa de muitos cuidados. Claro que algumas das quest~eos só poderão ver respondidas na consulta pós -parto, mas há sempre alguma informação que os profissionais da maternidade vos podem dar para vos tranquilizar:

Sobre a mamã

  • Lóquios (sangramento vaginal pós-parto);
  • Início da atividade física;
  • Início da atividade sexual;
  • Alimentação;
  • Seguimento pós-alta, entre outras.

Segurança do bebé no transporte da maternidade para casa

  • A seleção do ovo mais adequado ao bebé – deve atender à homologação conforme regulamento 129 ou regulamento 44, mediante se é para instalação em automóvel com sistema isofix ou em automóvel sem sistema isofix, respetivamente. Habitualmente, nas lojas de puericultura os profissionais estão habilitados a fornecer tais informações;

  • O bebé deve ser colocado dentro do ovo, devidamente acondicionado, conforme instruções do fabricante (aconselho todos os casais grávidos a lerem as instruções do ovo antes de o utilizarem pela primeira vez);
  • Atender à altura do ano para selecionar a roupa do bebé sair da maternidade e a forra do ovo (há forras muito quentes, que sobreaquecem o bebé) – neste campo o importante é a practicidade, que se deve sobrepôr à beleza do produto, quando o estamos a selecionar para comprar;
  • Instalar devidamente o ovo no automóvel (aconselho todos os casais grávidos a experimentar instalar o ovo no automóvel previamente ao momento do bebé sair da maternidade), idealmente antes de se decidirem por um modelo no momento da compra;
  • O ovo deve ser colocado em contra-marcha, idealmente no banco de trás do automóvel. É expressamente proibida a colocação do ovo em lugares com airbag frontal ativo.

Baseado na Associação para a Promoção da Seguraça Infantil (APSI)

Seguimento do bebé

  • Antes do nascimento, habitualmente o casal já decidiu se pretende seguimento do bebé em pediatra particular ou em centro de saúde. A maioria dos casais que optam por seguimento em pediatra particular, no momento da alta já sabem o dia da 1ª consulta do bebé;
  • Seja qual for a decisão (seguimento em pediatra particular, em centro de saúde por médico de família ou ainda seguimento por ambos os profissionais), a primeira consulta do bebé é a consulta dos 15 dias de vida, que deve ser marcada no dia da alta hospitalar ou logo nos dois dias seguintes, de forma a não ficar esquecida;
  • Independentemente do seguimento, o bebé deve ser inscrito no centro de saúde da área de residência, em balcão com administrativo ou, em alguns centros de saúde, via telefónica. Para tal será necessário o registo de nascimento ou o cartão de cidadão.

Aconselho a quem decide por pediatra particular, não descurar do seguimento em centro de saúde pois, além de ser um direito enquanto cidadãos, os nossos centros de saúde estáo cada vez mais preparados para assistir eficazmente o bebé e a sua mamã.

Seguimento da mamã

  • O seguimento da puérpera é feito em consulta com obstetra particular ou em centro de saúde da área de residência, entre as 4 e as 6 semanas pós-parto;
  • Habitualmente a puérpera é aconselhada a não iniciar atividade sexual ou física antes desta consulta. Vai depender de vários fatores e é por isso que aconselho sempre a que tirem estas dúvidas com o obstetra que vos observa na maternidade.

Documentos a tratar

Registo de nascimento do bebé

  • O limite são 20 dias após o nascimento do bebé, para efetuar o seu registo de nascimento;
  • Há maternidades que permitem esse registo na maternidade, outras cujo registo tem de ser feito à posteriori;
  • Se assim for, o ideal será fazer o registo online ou marcar dia e hora na conservatória de registo civil ou no espaço registos (consultar informação útil a este respeito).

Cartão de cidadão do bebé

Subsídio parental

  • Pode ser requerido num balcão da Segurança Social ou online, na Segurança Social Direta (consultar informação a este respeito);
  • São várias as opções nesta temática, pelo que vos aconselho a consultar as possibilidades que têm enquanto casal, no link;
  • Após esta decisão e feito o requerimento, cada membro do casal tem 5 dias úteis para entregar cópia do requerimento na sua entidade patronal.

Preparar o animal de estimação

Muitos esquecem-se deste pormenor. Mas eu dou-lhe exatamente o mesmo grau de importância. Preparar o animal de estimação é algo que deve ser feito durante toda a gravidez. Quando o bebé nasce e antes de chegar a casa, são alguns os cuidados a tEr com o animal de estimação. Explico-vos tudo no artigo «o bebé e o animal de estimação – cuidados a ter».

Vão para casa entretanto? Aconselho-vos a lerem os artigos:

4 Comments

  1. Sandra Andrade

    “Lembro-me bem do que senti em Setembro de 2019 com o meu marido sempre ao meu lado. Por me lembrar tão bem e ter tido o que neste momento as recém-mamãs não podem ter (o pai presente 24 sob 24h), ainda valorizo mais o que passam estas mulheres nos dias de hoje.”
    olá Sr. enfermeira… como está?
    Acabei de ler o seu blog e fiquei com um dúvida…. As recém-mamãs não podem ter o pai presente 24h sobre 24? E agora como funciona com a situação pandémica que estamos a passar?
    Obrigada e um beijinho muito grande :kissing_heart:
    (Você nao existe :yellow_heart::yellow_heart: tem tudo aquiiii :scream:)

    Reply
    • Enf Andreia

      Olá Sandra, bom dia.
      Desculpe só responder agora. Tem sido muita requisição :S
      Depende as regras de cada hospital, mas habitualmente não podem ter o pai 24/24h, mas sim no trabalho de parto e período expulsivo (conforme condições de cada maternidade). O que questiona relativamente à situação pandémica? Em casa? Na maternidade? Beijinhos

      Reply
      • Sandra Andrade

        olá senhora enfermeira…
        obrigada, por responder :)
        Relativamente à situação pandémica, refiro-me à maternidade… como é que estarão agora a proceder? beijinhos

        Reply
        • Enf Andreia

          Olá Sandra,
          Aconselho-a a informar-se direitinho na maternidade onde pretende ter o seu bebé, porque varia de maternidade para maternidade :)
          Um beijinho grande,
          Andreia

          Reply

Submit a Comment

O seu endereço de email não será publicado.

× Podemos ajudar?