O bebé com cólicas. Como aliviar?

O bebé com cólicas. Como aliviar?

Jun 3, 2020

Cólicas! O martírio de muitas mães e pais nos primeiros meses de vida do bebé. Não me lembro de algum dia de trabalho na urgência sem que um pai ou uma mãe aparecesse a pedir ajuda porque o seu filho “chora continuamente há 1h” ou “estava tão bem e de repente começou a chorar e não o conseguimos acalmar nem ao colo”. E no final, tudo se resume a cólicas.

Muitos pais admitem que o que os seus filhos têm não são cólicas pois “faz muito bem cocó, todos os dias e várias vezes ao dia”. Mas dou-vos aqui uma informação importante: não são só os bebés com dificuldade em fazer cocó que têm cólicas.

O que é a cólica?

A cólica é sinal da imaturidade do intestino e da presença de ar para além das fezes, ar esse que se transforma numa dor insuportável. Por isso mães e pais, a maioria dos bebés até aos 3 meses, infelizmente, passa por este tormento. Conseguir identificar a cólica e intervir no momento certo, pode dar muito mais qualidade ao vosso bebé. 

Como distinguir a cólica de qualquer outro desconforto?

Como mães e pais rapidamente começamos a distinguir o choro do nosso bebé. Chora porque tem fome, porque tem sede, porque tem calor ou frio, porque tem sono, porque quer mimo e conforto, porque tem dor. Dor! Um choro tão característico:

choro gritado, com lágrima, inconsolável;

– muitas vezes acompanhado de extensão dos braços e pernas;

– com projeção do tronco para trás.

Onde já viram isto? :(

Infelizmente o João Maria desde cerca do 15º dia de vida que começou as terríveis cólicas. Comecei a perceber que era de cólicas que se tratava por toda a envolvente da situação, que em tanto se assemelhava ao que diz nos livros:

  • começava com desconforto sobretudo no horário entre as 16 e as 21h, após as mamadas;
  • com choro forte, muitas vezes um choro gritado;
  • contorcia-se para trás e esticava muito as pernas que mantinha várias vezes em tensão;
  • houve vezes em que logo no início da mamada, após uns 2 minutos de amamentação, o meu filho recusava-se a continuar a mamar, chorando inconsolável, contorcendo-se, o que mais uma vez mostrava desconforto;
  • quando o despia para palpar a barriga, esta encontrava-se distendida e, quando massajada, sentiam-se como que uma espécie de bolhas de ar.

O que fazer para aliviar a cólica do bebé?

– Promover um AMBIENTE CALMO E ACOLHEDOR (se o bebé costuma acalmar com música colocar música; se acalma com chucha dar chucha; se prefere o vosso colo, dar colo; se o banho o deixa relaxado, antecipar o banho, entre outras medidas que vejam que são facilitadoras neste processo;

Praticar muito BABYWEARING, muito colinho e miminho reconfortante;

– Fazer MASSAGEM NA BARRIGA DO BEBÉ, no sentido dos ponteiros do relógio (pode facilitar se usarem óleo de amêndoas doces ou creme hidratante). Atenção que não é suposto fazer cócegas ;) é sim para massajar firmemente, sem medo, de forma a possibilitar o retorno do trabalho intestinal;

– Realizar ESTIMULAÇÃO RETAL COM CÂNULA DE BEBEGEL: na maternidade, as enfermeiras do serviço costumam ensinar os pais a realizar esta estimulação, assim como a massagem abdominal. Não tenham alta sem pedir tais ensinos, se estes não vos forem feitos, pois são essenciais para que ajudem o vosso bebé e se sintam seguros enquanto pais a fazer tais procedimentos. E garanto-vos: o vosso filho não ficará dependente de uma cânula no ânus cada vez que tenha de evacuar! (sim esta é uma questão que, naturalmente, muitos pais nos colocam em ambiente de urgência);

– Aplicar QUENTE NA BARRIGA, com saco de água quente ou almofada anti-cólicas, após realizarem a massagem abdominal (atenção para não queimar o bebé; habitualmente existem almofadas apropriadas para bebés – explico abaixo);

AMAMENTAR, para mães que amamentam, por todo o conforto que este momento transmite ao bebé;

– Dar ANALGESIA oral ou retal (paracetamol / benuron), se as medidas anteriores não forem eficazes e/ou o bebé mantiver dor notória (consultar artigo «analgésicos e antipiréticos em pediatria»)

O nosso caso em particular…

O meu bebé raramente tolerava a massagem na barriga. A dor devia ser tal, que contorcia-se ainda mais quando eu tentava massajá-lo; por isso, quase sempre que o que nele resultava era a estimulação retal com a cânula do bebegel. Ficava mais aliviado depois de expulsar todo aquele ar acumulado no intestino.

Após isso, nada como o babywearing. Muito colo, muito mimo e conforto ajudavam o João Maria a descansar e a aliviar aquele desconforto. Já para não falar que me permitia fazer alguma coisa em casa e me transmitia, enquanto mãe, a sensação de segurança necessária para me sentir melhor :)

Para além destas medidas, o João Maria acalmava muito com a almofada anti-cólicas, ou enquanto praticava babywearing, ou ao meu colo virado para baixo e com uma das minhas mãos na sua barriga. Uma almofada moderna que se aquece no microondas, que eu desconhecia por completo até a minha sogra oferecer ao meu filho depois de ter visto o seu sofrimento numa tarde em nossa casa. A verdade é que o calor local ajuda em muito no alívio da dor e eu pude verificar isso no meu bebé. Ficava mais calmo e acabava por adormecer.

Se desejarem comprar em confiança, a loja @pulguinhas vende este e outros artigos no seguinte link

Contudo, mesmo depois destas medidas que indiquei, em cerca de 3 a 4 vezes, o João Maria manteve gemido, com notória dor. Foi necessário dar-lhe um analgésico (paracetamol ou ben-u-ron). Nos casos em que dei paracetamol ao meu bebé, em 30 a 40 minutos o meu filho acalmou e adormeceu descansado. Isso para mim foi o mais importante.

Tenho de enfatizar que os medicamentos devem ser administrados com pés e cabeça, em circunstâncias cujas medidas anteriormente descritas não são suficientes e o bebé permanece inconsolável com dor. Falo-vos não somente como enfermeira, mas como mãe também (consultar artigo «analgésicos e antipiréticos em pediatria»).

Mete dó ver os nossos filhos naquele sofrimento. Tenho consciência que a experiência profissional me ajudou muito a lidar com a situação, desde a identificação da cólica ao controlo da mesma. E é por isso que escrevo este artigo, para que, também vocês, pais, se sintam capazes de identificar a cólica e agir para ajudar o vosso filho a melhorar.

E a vossa esperiência com cólicas, como tem sido?

9 Comments

  1. Sandra Andrade

    Obrigada mais uma vez por estas informações tão importantes senhora enfermeira.
    Bebé de 3 semanas, algumas cólicas, e começam sempre quando está à um minuto na mama. Recusa mamar, mas o colinho é sagrado.
    Agora já sei que as massagens aliviam muito antes das mamadas. Obrigada

    Reply
    • Enf Andreia

      Que bom querida Sandra, obrigada pelo seu feedback e tudo de bom para o pequenino :)

      Beijinhosss

      Reply
  2. Claudia Amaral

    Sou/somos tão abençoados! Por várias razões, de entre as quais a saúde plena das nossas princesas e o quão felizes elas são ❤️
    Mas nesta questão das cólicas temos sido mesmo MUITO abençoados… Não sei o que é! Senti uma única vez, da qual tiveste conhecimento, um desconforto bem forte na baby Áurea, mas que felizmente com as tuas dicas e recomendações reverteu! ❤️❤️❤️

    Reply
    • Sara Nogueira

      O meu filho teve imensas cólicas até aos 5 meses e tal como o teu tinha sempre a partir mais ou menos das 17h as 22h ou 23h. Depois começou a ter apenas à noite , mas ainda as tem e agora a introdução alimentar agravou um pouco.
      Apesar de toda a gente opinar sobre dar gotas na chucha , eu sou um pouco contra porque lá está, tento resolver da maneira que acho que o meu filho fica bem, sem ser necessário analgesia oral ou rectal. Mas se tivesse de o fazer faço para o bem dele. Mas nunca dei nada. Apenas penso dar umas gotas agora, de origem mais natural sem açúcares , se as cólicas se se agravarem durante a introdução alimentar.
      Sou uma mãe muito paciente, então antes de cada mamada massajava a barriga e fazia exercícios com as perninhas. Agora que ele descobriu os pés até brinco com ele com as perninhas e ele relaxa e ri se, e lá vai deitando os gases.
      Uma coisa que me ajudou bastante , foi a dica da minha prima que vive em Itália , e quando teve os dela, recomendado por uma médica italiana, foi a mãe ou o pai deitarem se e elevarem o tronco, ficando o bebé deitando ao longo da nossa barriga (barriga com barriga, cabeça para cima claro), pois a nossa respiração profunda e calma, vai acalmando o bebé e massajando a barriga e o calor ajuda e o bebé fica relaxado e vai soltando os gases. Muito colinho ajuda bastante.
      Nunca coloquei o liquido do bebé gel mas nos 6 meses de vida dele, apenas estimulei 3 vezes com a canula porque chegava ao fim da tarde e ainda não tinha feito coco e via que estava muito aflito . Lá está apesar dele fazer coco várias vezes por dia as cólicas são perfeitamente normais porque o sistema digestivo e imaturo. Por isso as mamãs que não se sintam culpadas de comer certas coisas. Há muito mito. Eu apercebi me apenas que quando comia muitos verdes ele ficava mais aflito . Portanto apesar de me fazer bem, reduzi na ingestão de certos verdes por causa da quantidade de ferro, para bem do meu bebé.
      Uma coisa que ajudava bastante era o banho, apesar do pediatra dizer que podia tomar banho dia sim e dia não, eu expliquei que o banho ajudava e ele deu me luz verde para dar banho todos os dias , para bem do meu bebé. Mesmo assim experimentei dar uma semana dia sim e dia não, e cada vez que não tomava banho era horrível para adormecer, por isso optei por dar banho todos os dias.
      A almofada tentei e ele não gostou muito prefere as massagens na barriga e o movimento das perninhas.
      Mamã calma, bebé calmo. Bebé bem, mamã feliz =)

      Reply
      • admin

        Sara, excelente partilha! Tenho a certeza que muitas mamã se sentirão mais seguras e confortadas com estas palavras! Muito grata :)

        Reply
    • Andreia Miranda

      Boa noite, este é “só” o melhor blog que nós “recém-papás” poderíamos encontrar nesta nova fase da nossa vida .
      Muito obrigada por toda a partilha .
      Espetacular

      Reply
      • Enf Andreia

        Oh querida Andreia, que emoção ao ler as vossas palavras de apreço! Obrigada por todo o carinho :)
        Que seja um apoio para que todos se sintam mais seguros!

        Um beijinho,
        Andreia

        Reply
  3. Joana Ferreira

    Vejo me na situação em que quero massaja lo e ele contorce se ainda mais. Tadinhos, malditas cólicas bom artigo mamã

    Reply
    • admin

      O truque é não desistir, massajar muito muito muito sempre antes das mamadas. Aliado a muito miminho, muito colinho e amor. Será um truque infalível para proporcionar mais conforto ao bebé. Obrigada pelo seu comentário

      Reply

Submit a Comment

O seu endereço de email não será publicado.

× Podemos ajudar?