Enxoval do bebé: da amiga que empresta à mãe que vende em segunda mão

Enxoval do bebé: da amiga que empresta à mãe que vende em segunda mão

Abr 3, 2020

Ainda antes do teste positivo e dos preparativos para a chegada do bebé, toda uma enchente de lojas e marcas novas começam a surgir no nosso dicionário. Desde mobiliário, artigos de higiene, roupa ou brinquedos, o nosso orçamento leva uma arromba se caímos em todas as tentações que existem nos dias de hoje para bebés.

É tão fácil cair em tentação! Quantas vezes me perdi nos artigos mais fofinhos e nas coleções coloridas das páginas de venda online! Mas atenção! Sempre fiz um esforço imenso para não cair em tentações desnecessárias. Lá está, não me interpretem mal, desnecessárias para mim, porque respeito que se tornem necessárias ao gosto e ao estilo de vida de outras pessoas.

Isto não invalidou que escolhesse determinados artigos mais caros porque era daqueles que gostava, mas foram raras as exceções. Maioritariamente, o que tenho hoje do João Maria são artigos emprestados ou comprados em segunda mão. Claro, não me refiro a todas as ofertas que tivemos de familiares e amigos, cuja ajuda foi imprescindível na fase de montar o enxoval do nosso filho. São opções. Não tem que ver com a minha conta bancária, mas com aquilo que considero prioritário para esta fase da vida :) 

São várias as pessoas que me abordam comentando que ter um filho é algo muito dispendioso. Posso concordar, em parte. Mas no nosso caso, não posso afirmar que está a ser um gasto muito acima do que já tínhamos mensalmente. Talvez porque procuramos a poupança diariamente:

– fizemos uma lista de artigos para o enxoval do bebé por forma a comprarmos o estritamente necessário (consulta o artigo «Lista do enxoval do bebé»);

– consultámos na internet páginas de venda de artigos em segunda mão (e nunca imaginámos poderem existir tantas! ;) )

perguntámos aos nossos amigos que já têm filhos, se tinham determinados artigos que nos pudessem emprestar;

fomos sinceros com os nossos familiares e amigos quando nos questionavam relativamente ao que precisávamos para o bebé, pois sabíamos que tinham gosto em ajudar e assim compraram artigos úteis e necessários para o bebé. Aqui, a minha irmã foi uma pessoa importantíssima! Fez chegar aos nossos amigos mais próximos uma lista de artigos que ainda não tínhamos comprado, possibilitando que nos surpreendessem no dia do babyshower do João Maria (consulta o artigo «organizar o babyshower do bebé»);

– uma vez que amamento em exclusivo desde que o nosso bebé nasceu, juntámos dinheiro semanalmente num mealheiro, equivalente a uma possível lata de leite artificial (tantos são os casos em que o orçamento familiar ascende 100 ou 200 euros por mês só em latas de leite artificial!);

– fomos à consulta dos 15 dias em Pediatra, mas sendo um bebé saudável, optámos por fazer todo o seguimento de consultas no Sistema Nacional de Saúde, pelo Centro de Saúde da nossa área de residência. Fomos a consulta dos 6 meses no Pediatra e iremos à dos 12 meses, pois sem dúvida que é o especialista certo para avaliar o grau de desenvolvimento do nosso filho e nos ajudar em possíveis dúvidas. Neste aspeto sinto-me privilegiada, pois trabalho lado a lado com Pediatras que em caso de dúvida, me ajudam e me aconselham.

Temos de admitir, contudo, que somos abençoados por o nosso filho ser saudável e até aos 5 meses e meio ter mamado leite materno em exclusivo, sendo esta ainda a única opção de leite no seu dia a dia. Mas lá está, como antes do nosso filho nascer não sabemos o que esperar, o melhor mesmo é optar por coisas rentáveis e económicas, juntando algum dinheiro para possíveis imprevistos que possam surgir no pós-parto.

E com vocês, como selecionaram o enxoval para os vossos filhos?

2 Comments

Submit a Comment

O seu endereço de email não será publicado.

× Podemos ajudar?